23 de set de 2015

Professor de Pau Brasil ganha prêmio nacional por trabalho pela igualdade

Josivaldo Câmara tem uma atuação marcante em prol da igualdadeJosivaldo Câmara tem uma atuação marcante em prol da igualdade
A 7ª edição do "Prêmio Educar para Igualdade Racial e de Gênero", concurso de nível nacional, tem um sul-baiano entre os contemplados: Josivaldo Félix Câmara. Ele foi premiado na categoria "professor universal", graças ao trabalho que desenvolve no município de Pau Brasil, desde o ano 2006, como professor da disciplina "História e Cultura Africana e Afro-brasileira e Indígena, no Centro Educacional Maria Santana.
A escola foi uma das primeiras da região a oferecer, na grade curricular, a referida disciplina, prevista com a implementação da Lei 10.639/03. Vale lembrar que, posteriormente, foi instituída a Lei 11.645/08, incluindo a obrigatoriedade do ensino da História indígena. Tal como preveem os citados dispositivos legais, a disciplina lecionada pelo premiado professor abarca debates – e ações – rumo à igualdade.
"Essa conquista representa um marco na minha trajetória como professor, porque busco organizar uma prática docente comprometida com ações que visam ao enfrentamento do racismo e ao fortalecimento da identidade étnico-racial dos estudantes negros, negras e indígenas", afirmou o educador, que viajará para receber o prêmio em outubro.
Segundo o professor Josivaldo, a principal preocupação dele é manter as discussões sobre a realidade vivenciada pela população negra e indígena, "na tentativa de reverter os efeitos de 'séculos de preconceito, discriminação e racismo', com o propósito de alcançar uma sociedade democrática, justa e equânime".
Para ele, o prêmio reconhece a importância dos resultados alcançados pela disciplina que promove, reconhece e valoriza a diversidade étnico-racial na educação escolar. "Fui premiado em um concurso nacional que tem entre os seus objetivos 'identificar, reconhecer, apoiar e difundir boas práticas pedagógicas' como essas desenvolvidas em Pau Brasil", reforçou.
Apoios reconhecidos
Ciente do quão importante é o trabalho conjunto, a soma de esforços em torno de uma mesma causa, Josivaldo Câmara destacou que as conquistas têm sido possíveis devido ao papel significativo da sociedade civil organizada, sobretudo os movimentos negro e indígena, que desde 2000 vem lutando no município de Pau Brasil para fortalecer as discussões em torno das relações étnico-raciais.
Além disso, ele mencionou o apoio de colaboradores e amigos, colegas de profissão em Pau Brasil, pesquisadores negros de outros municípios que ministram oficinas para a formação continuada dos estudantes e professores da educação básica em um evento realizado todos os anos no mês de novembro, em parceira com o Projeto Interlocuções da Universidade Estadual de Santa Cruz (Uesc).
O encontro citado pelo professor, que transcorre durante três dias, tem justamente o objetivo de ampliar as discussões feitas na disciplina História e Cultura Africana e Afro-brasileira.
 

Camacan Bahia Copyright © -- Site criado em 25/06/2011 #Camacan Bahia# 2011/2015