WhAtsapp

WhAtsapp

segunda-feira, 29 de dezembro de 2014

Acidentes aéreos mataram mais de 650 pessoas em 2014 no mundo

O acidente deste domingo (28/12) com um avião da companhia aérea AirAsia, que transportava 162 pessoas, soma-se aos três graves desastres registrados este ano em linhas comerciais, nos quais morreram 653 pessoas, conforme balanço divulgado pela Agência Lusa. 
O Airbus 320-200 da AirAsia desapareceu no Sudoeste de Borneo, na Indonésia, quando viajava da cidade javanesa de Surabaia para Cingapura. No dia 8 de março, desapareceu o Boeing 777-200 da Malasya Airlines, que decolou de Kuala Lumpur com destino a Pequim. 

No avião, estavam 239 pessoas e até hoje não foram encontrados vestígios da aeronave. Uma semana depois, foi confirmado que o último sinal recebido do avião ocorreu sete horas após a partida, quando sobrevoava o Oceano Índico. Em 17 de julho, morreram os 298 ocupantes do Boeing 777, também da Malasya Airlines, entre os quais 173 holandeses. A aeronave foi abatida por um míssil no Leste da Ucrânia, zona de conflito entre forças governamentais e rebeldes pró-russos. 

Em 24 de julho, morreram os 116 ocupantes, inclusive seis espanhóis da tripulação, do avião MD83 da companhia espanhola Swiftair, operado pela Air Algerie. A aeronave fazia o trajeto entre Uagadugu, capital de Burkina Faso, na África, e Argel. Nos últimos dez anos, alguns acidentes marcaram a aviação comercial mundial. Em 3 janeiro 2004, 148 pessoas morreram, dos quais 135 turistas franceses, na queda de um Boeing 737, da companhia egípcia Air Flash, no Mar Vermelho, depois de descolar de Sharm el Sheikh (Egito). 

No dia 14 agosto de 2005, 121 pessoas morreram no acidente com o Boeing 737 da linha aérea cipriota Helios. O avião caiu no Nordeste de Atenas. No dia 16 agosto de 2005, um MD-82 da companhia West Caribbean Airways caiu em Machiques (Venezuela), fronteia com a Colômbia, matando seus 161 ocupantes. Os 152 passageiros eram franceses. Um Boeing 737-200 da linha aérea indonésia ‘low cost’ Mandala caiu em 5 de setembro do mesmo ano, em Medan (Sumatra). No acidente, morreram 150 pessoas. Ainda em 2005, no dia 6 de dezembro, 116 pessoas morreram na queda de um avião Hércules AC-130, que levava passageiros civis, entre eles vários jornalistas. 


A aeronave que bateu contra um prédio nos arredores de Teerã (Irã). Em 09 julho de 2006, a colisão de um Airbus A-310, com 200 passageiros, contra um edifício durante a aterrissagem no aeroporto de Irkutsk (Sibéria, Rússia) deixou 150 vítimas. No dia 22 agosto de 2006, um aviãos TU-154 com 169 pessoas, incluindo 45 crianças, caiu na Ucrânia quando tentava realizar uma aterrissagem de emergência. Em 30 setembro 2006, 154 pessoas morreram após o Boeing 737-800 da GOL, que viajava de Manaus (AM) para Brasília (DF), beter em pleno voo contra um Legacy comandado pelo pilotos norte-americanos Joseph Lepore Jean Paul Paladino. Eles haviam desligado o transponder, aparelho de uso obrigatório que informa a posição exata das aeronaves aos controladores de voo. O avião da GOL caiu na Floresta Amazônica. Apesar de danificado, o jato Legacy conseguiu pousar.

Conforme o balanço da agência de notícias, no dia 17 julho 2007 um Airbus A320 TAM saiu da pista na aterrissagem no Aeroporto de Congonhas, em São Paulo, batendo em um edifício da empresa. A maior tragédia aérea do Brasil causou 199 mortos e um desaparecido (187 ocupantes do avião e 13 vítimas em terra). 

No dia 20 agosto 2008, 154 pessoas morreram e 18 ficaram feridos na queda de um avião MD-82 da companhia Spanair. O avião caiu no Aeroporto de Barajas (Madri), com 172 pessoas a bordo. Os dados indicam que, em 1º junho de 2009, um Airbus A-330 da Air France caiu no Oceano Atlântico quando voava do Rio de Janeiro para Paris. 

No acidente, desapareceram 228 pessoas, a maioria brasileiros e franceses. No dia 30 junho 2009, o Airbus 310-300 da Air Yemenia caiu no Oceano Indico com 153 pessoas a bordo (66 franceses), quando voava de Saná para as Ilhas Comoras. Em 15 julho de 2009, morreram os 168 ocupantes do Tupolev da empresa iraniana Caspian Airlines. O avião caiu após decolar do Aeroporto de Teerã para a cidade de Ereva (Irã). O piloto havia informado a existência de um problema técnico. No dia 22 maio de 2010, 158 pessoas morreram e oito sobreviveram à queda do Boeing-737 da Air India Express, procedente de Dubai, no Aeroporto de Mangalore (India). Em 28 julho de 2010, 153 ocupantes do Airbus A321 da companhia Air Blue morreram após o avião bater contra colinas perto de Islamabad, no Paquistão. 

Em 20 abril 2012, a queda de um Boeing 737 da companhia aérea paquistanesa Bhoja matou 127 passageiros e tripulantes e mais 11 pessoas em terra. O avião fazia a rota Karachi-Islamabad e caiu em uma zona residencial de Hussainabad, próxima de Islamabad. No dia 3 junho de 2012, 153 ocupantes de um avião das linhas aéreas Dana Airair e outras sete pessoas em terra morreram após o choque da aeronave com um edifício em Iju, em Lagos, na Nigéria.

0 comentários:

Postar um comentário