WhAtsapp

WhAtsapp

sábado, 14 de junho de 2014

Comer muita carne vermelha pode aumenta o risco de câncer de mama

Uma nova pesquisa da Universidade Harvard, nos Estados Unidos, sugere que uma alimentação rica em carne vermelha ajuda a elevar o risco de câncer de mama. Inversamente, substituir a carne vermelha por frango, peixe ou leguminosas ao menos uma refeição por dia diminui essa probabilidade. Estudos já haviam sugerido que uma dieta rica em proteína pudesse favorecer o desenvolvimento do câncer de mama. Porém, como as fontes de proteína na alimentação são muito variadas, era possível supor que cada alimento proteico tivesse um efeito distinto sobre a doença. Consumir muita carne vermelha pode elevar risco de mulher ter câncer de mama em até 22% durante vinte anos. Porém, substituir ao menos uma porção do alimento por frango, leguminosas, castanhas ou peixe diminui essa chance em 14%. Diante disso, os pesquisadores de Harvard decidiram avaliar o impacto de diferentes fontes de proteína — incluindo carne vermelha, frango, peixe, leguminosas (como feijão, lentilha e ervilha) e castanhas — no risco de uma mulher ter câncer de mama. O estudo da equipe, publicado nesta terça-feira no BMJ, se baseou nos dados de 89 000 mulheres que começaram a ser acompanhadas em 1991, quanto tinham entre 26 e 45 anos. Naquele ano, elas responderam a um questionário sobre seus hábitos alimentares relatando a frequência com que consumiam cada alimento a partir de uma escala que ia desde “nunca ou menos de uma vez ao mês” até “seis ou mais vezes por dia”. Durante os vinte anos seguintes, houve 2 830 casos de câncer de mama entre as participantes. A prevalência da doença foi 22% maior entre aquelas que comiam mais carne vermelha (seis ou mais vezes por dia) em comparação com as que consumiam o alimento com menor frequência (nunca ou menos de uma vez por mês). Carne vermelha inclui tanto o alimento não processado (carne bovina e suína, por exemplo) quanto o processado (como salsicha, presunto e bacon). (Fonte: Veja/Saúde)

0 comentários:

Postar um comentário